Assembleia Municipal de Lisboa
Recomendação 020/10 (PPM) - Mirante da Quinta do Marquês de Marialva
24-04-2018

Agendada: 24 de Abril de 2018
Debatida e votada:
Resultado da Votação:
Passou a Deliberação:147/AML/2018
Publicação em BM: BM nº 1267

MIRANTE DA QUINTA DO MARQUÊS DE MARIALVA

O mirante da Quinta do Marquês de Marialva localizado em Marvila, é o último vestígio da nobre quinta edificada por D. António Luís de Menezes, 1.º marquês de Marialva(1596-1675).

O mirante tem sofrido intervenções, de que é testemunho a sua traça marcadamente romântica, num estilo muito posterior à morte do último marquês. A escadaria era revestida por azulejos do séc. XVII e há ainda vestígios do rendilhado em estuque.

Foi nesta propriedade que se instalou a Fábrica Nacional de Sabões, que resultou da união de várias indústrias. Em 1919, a empresa Sousa & C.ª e João Rocha, um importante industrial, associaram-se e formaram uma empresa de grande expressão industrial, a que estavam ligados nomes como Sonasol, Margarina Extra, Sabonete Beato, entre outras.

A produção atingiu o seu auge nos anos 40 do século XX, tendo a SNS (Sociedade Nacional de Sabões) então adquirido este terreno sob a designação de Quinta do Brito. Foram demolidas todas as estruturas do antigo solar, para dar lugar a esta enorme unidade fabril que funcionou durante várias décadas.

Hoje todo este terreno é um enorme descampado com alguns vestígios de arquitectura que dificilmente se poderão cotejar.

Considerando que:
O mirante da Quinta do Marquês de Marialva é a única edificação patrimonial da antiga Quinta;
É um marco histórico e arquitectónico importante para a Freguesia de Marvila;
Encontra-se em avançado estado de degradação, alvo de vandalismos e cujo ambiente degradado contribui para a frequência de grupos de risco;

O Grupo Municipal do Partido Popular Monárquico (PPM) propõe que a Assembleia Municipal de Lisboa, na sua reunião ordinária de 24 de Abril de 2018, delibere recomendar à:
Câmara Municipal de Lisboa que inicie o mais brevemente possível o processo de classificação do imóvel e respectivas obras de restauro, de modo a poder travar a sua acentuada degradação e os diversos actos de vandalismo nela praticados .

Lisboa, 24 de Abril de 2018.

Pelo Grupo Municipal do Partido Popular Monárquico
Aline Hall de Beuvink
Maria do Carmo Muñoz

Documentos
Documento em formato application/pdf Recomendação 020/10 (PPM)186 Kb