Assembleia Municipal de Lisboa
Moção 022/02 (PSD) - Linha Circular do Metro de Lisboa: Uma Opção muito cara para tão poucos benefícios ou A Grande Diferença entre Despesa e Investimento
15-05-2018

Agendada: 15 de Maio de 2018
Debatida e votada: 15 de Maio de 2018
Resultado da Votação: Deliberada por pontos:
Ponto 1 Rejeitado com a seguinte votação: Contra: PS/ BE/ 8 IND - Favor: PSD/ PCP/ CDS-PP/ PAN/ PEV/ MPT/ PPM
Ponto 2 Rejeitado com a seguinte votação: Contra: PS/ 6 IND - Favor: PSD/ PCP/ CDS-PP/ BE/ PAN/ PEV/ MPT/ PPM/ 1 IND - Abstenção: 1 IND
Ponto 3 Rejeitado com a seguinte votação: Contra: PS/ 8 IND - Favor: PSD/ PCP/ CDS-PP/ BE/ PAN/ PEV/ MPT/ PPM)

Linha Circular do Metro de Lisboa:
Uma opção muito cara para tão poucos benefícios
ou
A Grande Diferença entre Despesa e Investimento

O Governo, com o apoio do Presidente da CML, pretende implementar como "primeira prioridade" para a expansão do Metropolitano de Lisboa, uma Linha Circular, utilizando para isso a Linha Verde e grande parte da Linha Amarela.
Esta opção, a ser tomada, transformará a Linha Amarela numa "micro linha", ficando apenas a ligar diretamente Odivelas a Telheiras.

Considerando que:
- Esta decisão terá decorrido de um estudo encomendado a uma empresa especialista em desenho e reestruturação de redes de transporte, à qual foram apresentados apenas dois cenários para serem comparados, eliminando assim qualquer outro cenário;
- A ligação Cais do Sodré / Rato não é a única que garante a conexão do chamado "eixo central" com a linha de Cascais, não tendo sido estudada qualquer outra ligação alternativa;
- A opção escolhida levará a um aumento considerável do uso do transporte individual (TI), face às dificuldades criadas pelos transbordos adicionais em termos de conforto e tempo, aumentando assim a poluição sonora e ambiental e degradando ainda mais as condições de circulação e estacionamento na cidade;
- Obrigará a obras de engenharia muito complexas, nomeadamente em termos de geotecnia e desvios de trânsito, além de onerosas (mais de 200 milhões de euros );
- Conduzirá à redução da mobilidade na cidade, especialmente na zona Norte de Lisboa e concelhos limítrofes de Loures e Odivelas;
- Continuarão sem qualquer serviço de metro, importantes polos de emprego como sejam, Campolide, Amoreiras e Campo de Ourique;
- A interface do Cais do Sodré não terá capacidade para absorver em condições aceitáveis de conforto e segurança, o previsível acréscimo de passageiros que se concentrarão nesta estação;
- A operação do serviço será muito mais complexa, falível e ineficiente, especialmente no que toca à diversidade da oferta ao longo do dia;
.

Assim, a Assembleia Municipal de Lisboa, reunida em 15 de maio de 2018, delibera, ao abrigo do artigo 25.º, n.º 2 alíneas j) e k) da Lei nº 75/2013 de 12 de setembro que:

1 - Propor a suspensão imediata da intenção de levar para a frente a chamada "Linha Circular", tendo em conta os enormes custos associados e não existirem estudos globais que suportem esta solução.
2 - Solicitar a divulgação imediata do estudo que levou à tomada desta decisão bem como de todas as condicionantes que foram dadas à equipa que o produziu.
3 - Avaliar todas as opções possíveis para a expansão da rede de Metro da cidade de Lisboa, através de um estudo sério e transparente, que leve em conta todos os dados disponíveis respeitantes à procura atual e futura de passageiros.
4- Que a presente Moção seja enviada à Câmara Municipal de Lisboa, bem como à Administração do Metro de Lisboa, ao Ministério do Ambiente e à Assembleia da República.

Lisboa, 15 de Maio de 2018

As Deputadas e Deputados Municipais eleitos pelo PPD/PSD

Álvaro Carneiro, Ana Mateus, António Prôa, Carlos Barbosa, Fernando Braamcamp, Fernando Ribeiro Rosa, Francisco Domingues, Luís Newton, Mafalda Cambeta, Rodrigo Mello Gonçalves, Vasco Morgado, Virgínia Estorninho

Documentos
Documento em formato application/pdf Moção 022/02 (PSD) 116 Kb