Assembleia Municipal de Lisboa
Moção 020/04 (PSD) - Saudar Medina e a conclusão das obras dos seus novos Centros de Saúde em Lisboa
24-04-2018

Agendada: 24 de Abril de 2018
Debatida e votada: 24 de Abril
Resultado da Votação: Rejeitada com a seguinte votação: Contra: PS/ PSD/ PCP/ BE/ PAN/ PEV/ 8 IND - Abstenção: CDS-PP/ MPT/ PPM

"SAUDAR MEDINA E A CONCLUSÃO DAS OBRAS DOS SEUS NOVOS CENTROS DE SAÚDE EM LISBOA"
A 14 de março de 2017, em vésperas de eleições autárquicas, o PS da CML e o PS do Governo, juntaram-se para anunciar a construção de catorze (14) novos centros de saúde para servir a Cidade de Lisboa.
Os novos centros de saúde, construídos essencialmente em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa (CML), iriam, numa primeira fase, substituir os que se encontravam com sinais de maior degradação das infraestruturas.
Assim, planeou-se a construção de 14 novos centros de saúde, a saber: as Unidades de Saúde (US) Alta Lisboa-Norte (freguesia de Santa Clara), a US Telheiras (Lumiar), US Alcântara (Alcântara), US Ajuda (Ajuda), US Restelo (Belém), US Alto dos Moinhos (São Domingos de Benfica), US Fonte Nova (Benfica), US Marvila (Marvila), US Campo de Ourique (Campo de Ourique), US Areeiro (Areeiro), US Arroios (Arroios), US Beato (Beato), US Sapadores-Graça (Penha de França) e US Parque das Nações (Parque das Nações).
Era uma visão ambiciosa, que se traduzia claramente nas palavras do Presidente de Câmara, Fernando Medina: "Fazemos este investimento porque podemos"
De acordo com o que foi na altura anunciado, as obras começariam até ao final de 2017 e estariam todos concluídos em 2020.
Nesse dia, perante a comunicação social, Adalberto Campos Fernandes deixou clara a vontade de que a "Expo fosse a primeira" freguesia a ter um novo centro.
Na altura até o então secretário da Junta de Freguesia do Parque das Nações, Luís Lucas Lopes, chegou mesmo a afirmar que "Este é o concretizar de promessas de anos e anos a fio de muitos políticos", acrescentando que a falta de centro de saúde no Parque das Nações obrigava muitos dos utentes a recorrerem ao privado, dado que o "centro de saúde mais próximo está à distância de três autocarros".
O dia não terminou sem que Adalberto Campos Fernandes tenha dito esperar daqui a "alguns meses poder visitar o andar das obras".
Não esquecemos igualmente o enorme entusiasmo e confiança que o ministro trouxe para este projeto, dizendo mesmo que, este programa, com acordo até 2020, era um exemplo da "virtude de uma nova geração de parcerias públicas".
Ora, o PSD veio na altura criticar o que aparentava ser um anúncio eleitoralista, que teria como único propósito criar uma falsa expectativa junto dos Lisboetas, procurando assim conquistar a confiança destes com base única e exclusivamente em mais um pedaço de papel cheio de promessas em vésperas de eleições.
Porém, passado mais de um ano, não podemos deixar de salientar que, não obstante nada ter sido anunciado publicamente, as promessas estarão, certamente, em avançado estado de realização, com várias obras que terão arrancado logo a seguir às eleições autárquicas.
Também não vimos o ministro da Saúde, certamente por dever de discrição e seriedade, a visitar as várias obras em curso mas confiamos que já se tenha deslocado a verificar a velocidade a que as mesmas estão a decorrer.
Por fim, mas igualmente relevante, é de se destacar que o tão desejado centro de saúde na Freguesia do Parque das Nações estará em fase final de construção e, certamente, abrirá até ao final do ano, cumprindo assim o desígnio de evitar que os utentes continuem a recorrer ao privado ou a ter de trocar três autocarros para chegarem ao público mais próximo.
Assim, o Grupo PPD/PSD propõe que a Assembleia Municipal de Lisboa, reunida em 24 de Abril de 2018, delibere:
● Saudar o cumprimento dos compromissos pré-eleitorais de Medina, com especial destaque para a eminente conclusão da construção do Centro de Saúde do Parque das Nações;
● Comunicar ao ministro Adalberto Campos Fernandes que quando visita em Lisboa as obras em estado avançado dos vários Centros de Saúde que anunciou, não se deve recatar e deve mesmo convocar a Comunicação Social e esta Assembleia para o acompanhar;
● Destacar o sucesso deste projeto confirmando a visão do ministro da saúde de que se trata de um exemplo da "virtude de uma nova geração de parcerias públicas";
● Enviar esta moção ao Senhor Presidente da República, ao Governo, aos Grupos Parlamentares da Assembleia da Republica e aos órgãos de comunicação social.
Lisboa, 24 de Abril de 2018

O Grupo Municipal do PPD/PSD

Documentos
Documento em formato application/pdf Moção 020/04 (PSD) 112 Kb