Assembleia Municipal de Lisboa
Moção 02/029 (PCP) - Impacto na saúde da crise socioeconómica
03-06-2014

Agendada: 29ª reunião, 3 de Junho de 2014
Debatida e votada: 3 de Junho de 2014
Resultado da Votação: Aprovada por maioria com a seguinte votação:
Favor - PS/PCP/BE/PEV/MPT/PAN/6 DM IND
Contra - PSD/CDS-PP
Abstenção - PNPN
Passou a Deliberação: 103/AML/2014
Publicação em BM: BM nº 1063

Moção
Impacto na saúde da crise socioeconómica

A crise socioeconómica em curso tem um elevado impacto sobre a saúde que não pode ser ignorado ou escondido. A destabilização económica e social das famílias e dos trabalhadores pôs em marcha um cortejo de fatores negativos para a qualidade de vida e para a saúde pelo que é necessário defender um novo rumo uma nova política centradas nas pessoas e na sua saúde e bem-estar.
A pobreza, o isolamento o envelhecimento, o desemprego e a exclusão social assumem grande relevância para a carga de doença associada às principais causa de morte e anos de vida perdidos.
No contexto de crise socioeconómica prolongada são identificadas:

  • Maior carga de doenças respiratórias e cardiovasculares e dos episódios agudos de intercorrência;
  • Maior sobre-exposição ao alcoolismo, as toxicomanias e SIDA;
  • Más dietas alimentares com subnutrição e obesidade;
  • Maior risco de doenças infecciosas;
  • Menor resistência aos extremos meteorológicos;
  • Agravamento das condições de trabalho e das doenças e mal-estares relacionados com o trabalho;
  • Isolamento social e suicídio;
  • Menor recurso a serviços de saúde e a medicamentos em contradição com o aumento de necessidade;
  • Agravamento da saúde mental.

Perante esta brutal carga de doença agravada pela crise não é aceitável não valorizar devidamente a influência que esta situação tem na vida e sofrimento das populações mas também no desenvolvimento do país.

Assim, O Grupo Municipal do Partido Comunista Português propõe que a Assembleia Municipal, reunida em sessão extraordinária no dia 3 de Junho de 2014, delibere:

  • Denunciar a ausência de um esforço de monitorização e diagnóstico continuado do impacto na saúde da crise por parte do governo e do ministério da saúde.
  • Denunciar a ausência de políticas ou programas que visem proteger os grupos populacionais mais afetados.
  • Denunciar a política de desmantelamento do SNS quando mais é necessário na situação de crise.
  • Enviar esta Moção para o Primeiro-ministro, Grupos Parlamentares da Assembleia da República e Ministro da Saúde.

Pelo Grupo Municipal do PCP

Carlos Silva Santos

Documentos
Documento em formato application/pdf Moção n.º 2 (PCP) da reunião de 3 de junho de 201499 Kb