Grupo PSD - Assembleia Municipal de Lisboa

MOÇÃO - Em defesa da Zona Ribeirinha, em defesa de Lisboa
23 de Abril de 2012
A frente ribeirinha da cidade tem vindo a sofrer um conjunto de intervenções promovidas e autorizadas pela Câmara Municipal de Lisboa, que vão criando novas barreiras que separam o Tejo da cidade e dos Lisboetas. O PSD apresentou através do deputado municipal João Magalhães Pereira esta moção em defesa da Zona Ribeirinha.

Considerando que:

 

1.                  A Câmara Municipal continua a permitir a até a promover a construção desenfreada na Zona Ribeirinha de Lisboa.

 

2.                  Com a extinção da Sociedade Frente Tejo no final do ano transacto, em vez de se assistir a uma defesa sólida e consistente dos interesses da cidade por parte da Câmara, verifica-se um agravamento da situação, com projectos de silos e parques automóveis subterrâneos e de superfície que destroem sem rebuço o património histórico de Lisboa e se interpõem nos seus caminhos urbanos, no Cais do Sodré e no Largo do Corpo Santo, assim como planos para construção directa sobre o Rio, com demolição de parte relevante do conjunto classificado da Central Tejo, para obras miríficas ao serviço de interesses dúbios de carácter privado.

 

3.                  Tudo como se não bastassem as acções experimentais no Terreiro do Paço e Campo das Cebolas, com alumínio nas janelas, descaracterização geral, multiplicação de espaços pseudo-lúdicos com nomes em idiomas estrangeiros, num alarde de confrangedor provincianismo, parecendo querer dedicar essa área nobre exclusivamente a turistas, retirando-a da fruição de todos os lisboetas.

 

4.                  A esta Assembleia Municipal cabe na circunstância e na condição de representante eleita dos moradores da cidade, tomar posição na protecção de Lisboa, já que a Câmara parece não querer fazê-lo, e isso apesar de ser bem conhecido o facto de a Câmara Municipal conceder importância nula às Moções e Recomendações que esta Assembleia produz, no cumprimento do seu Regimento, relativamente a qualquer assunto de interesse para Lisboa.

 

A Assembleia Municipal de Lisboa reunida em Sessão Ordinária em 24 de Abril de 2012, delibera declarar que:

 

 

  1. Todas as acções a efectuar na Zona Ribeirinha, se devem destinar, em prioridade, à eliminação das barreiras que separam a cidade e os habitantes de Lisboa, do seu Rio.

 

  1. Rejeita quaisquer novas construções na Zona Ribeirinha que não sejam objecto de um consenso alargado prévio entre os representantes da cidade.

 

 

 



< Artigo anterior: Falta de rigor,...
Artigo seguinte: PSD apoia a criação de... >

Discussão Pública da Proposta de Revisão do Plano Director Municipal. De 7 de Abril a 20 de Maio.
Participe!

Mapa do sítio  /  
Ficha técnica  /