Memorando AML - Procedimentos COVID

Aceda AQUI ao Memorando sobre utilização das nossas instalações

Assembleia Municipal de Lisboa
*
111ª reunião da AML |30 de Junho 2020|videoconferência
Participação dos munícipes regressa à Assembleia Municipal
01-07-2020 AML com LUSA e Público

A última sessão de Junho da Assembleia Municipal marcou o regresso da participação do público, e a possibilidade de aplicar medidas extraordinárias para o período da fase final da Liga dos Campeões.

"A Câmara Municipal de Lisboa deve ponderar e analisar a possibilidade de vir a solicitar ao Governo a aplicação de medidas extraordinárias que vigorem no período da fase final da Liga dos Campeões, tendo como objetivo prevenir o aumento de casos de covid-19 e a segurança dos lisboetas e visitantes", lê-se numa recomendação apresentada pela deputada municipal do PPM Aline Beuvink e que foi aprovada por maioria.

Este ponto teve os votos favoráveis de PSD, CDS-PP, PAN, PEV, MPT, PPM e de seis deputados municipais independentes. O PS, o PCP, o BE e dois deputados municipais independentes abstiveram-se.

Na recomendação, que tinha sete pontos que foram todos aprovados por maioria, ainda que com votações diversas, é defendido que a Câmara de Lisboa deve assegurar que as entradas em Lisboa de adeptos dos clubes envolvidos na fase final da Liga dos Campeões, nomeadamente através do aeroporto Humberto Delgado, "são efetivamente controladas em termos sanitários, como, por exemplo, através do controle de temperatura, entre outras medidas".

Na recomendação é também sugerido que a autarquia constitua uma "equipa multidisciplinar com todos os serviços do município fundamentais representados para o acompanhamento permanente" do evento e que crie "medidas efetivas de apoio aos comerciantes e empresários que necessitem para poderem corresponder adequadamente à expectável procura de tantos visitantes".

Além disso, a Assembleia Municipal recomenda que se prepare uma campanha publicitária de boas vindas e de sensibilização para os riscos da covid-19 dirigida aos adeptos que se desloquem a Lisboa para apoiar as equipas.

Quanto ao início da sessão plenária, com a participação do público através de videoconferência, chegou aos écrans a situação dos vendedores dos mercados da Ribeira e de Campo de Ourique, que estavam convencidos de que se lhes aplicava a "isenção integral" concedida pela câmara, e que foram informados de que teriam que pagar as rendas de Março e Abril tendo agora dez dias para pagar as rendas de Maio.

"Nós acreditámos que teríamos isenção total", afirmou o comerciante António Alves Miguel perante a assembleia municipal. "Há três meses e meio que não temos vendas".

Na semana passada, os deputados do BE na assembleia municipal apresentaram um requerimento a Fernando Medina em que dizem ser "incompreensível que a Câmara de Lisboa dê o dito por não dito e venha exigir estes pagamentos aos comerciantes que, na maioria, não têm maneira de pagar".
Nesta mesma altura, fonte oficial do município disse ao Público que o executivo está disposto a reavaliar a situação.