Assembleia Municipal de Lisboa
*
Os “caminhos da água” vão voltar à Praça de Espanha em 2020
01-02-2019 Carla Tomás, Expresso

Um grande jardim atravessado por um ribeiro vai nascer na Praça de Espanha. O projeto vencedor do concurso lançado pela Câmara de Lisboa, da autoria do atelier NPK – Arquitectos Paisagistas Associados, arranca este ano e será uma das bandeiras de Lisboa Capital Verde 2020

De espaço “complexo e gerador de entropia” com fluxos dispersos de circulação automóvel, o nó da Praça de Espanha, em Lisboa, vai dar lugar a um parque verde de cerca de cinco hectares, que pretende recuperar a ligação pedonal entre a Gulbenkian e Sete Rios, assim como os “caminhos da água” agora submersos.

Por baixo das atuais vias de circulação rodoviária deste ponto da cidade encontra-se “um dos epicentros da maior bacia de drenagem de Lisboa”, por onde passam linhas de água entubada oriundas das escorrências das chuvas em direção ao Vale de Alcântara. Estas linhas vão emergir e dar lugar a uma ribeira ladeada por vegetação e por choupos e carvalhos.

Um dos objetivos é “colocar a natureza à porta da cidade” e restabelecer as “continuidades perdidas” neste ponto da capital, indica o descritivo síntese do projeto, do atelier NPK – Arquitetos Paisagistas Associados, a que o Expresso teve acesso. O vencedor do concurso internacional promovido pela Câmara Municipal de Lisboa para recuperar a Praça de Espanha conta com a parceria do atelier de arquitetura Rua.

Além da ribeira, o novo parque contará com uma clareira, uma praça central e vias para mobilidade pedonal e ciclável, que facilitam a circulação entre os bairros envolventes. Numa segunda fase, a ideia é aproximar esta zona a Monsanto.

“A renaturalização do caminho natural da água, promovendo a instalação de um ecossistema húmido, em coexistência com os restantes sistemas da cidade, naturalmente bio diverso produtivo, com todos os benefícios que daí advêm permite uma atmosfera mais limpa, jardins mais fáceis de sustentar, uma cidade mais fresca, mais resiliente às alterações climáticas e mais bonita”, sublinham os autores do projeto no descritivo síntese.

Também já em estado avançado está o projeto de alteração das vias rodoviárias da Praça de Espanha. Em vez da atual multiplicação de cruzamentos, passam a existir apenas dois. As obras arrancam este ano e devem estar concluídas em 2020, ano em que Lisboa ergue o galardão de Capital Verde da Europa.