Assembleia Municipal de Lisboa
124ª reunião AML - 15 de Novembro 2016
Deputados de Lisboa repudiam comportamentos da manifestação do PNR
15-11-2016 FYM (JNM) // ARA, LUSA

A Assembleia Municipal de Lisboa aprovou hoje um voto de protesto, condenando e repudiando "os comportamentos violentos levados a cabo por participantes" na manifestação promovida pelo Partido Nacional Renovador, no domingo.

Os deputados aprovaram por unanimidade "repudiar e condenar toda e qualquer manifestação de caráter violento, racista ou xenófobo na cidade de Lisboa, designadamente a promovida pelo Partido Nacional Renovador no dia 13 de Novembro de 2016, afirmando a tradição multicultural e de tolerância da cidade de Lisboa".

O voto, apresentado pelo Bloco de Esquerda previa também o repúdio aos "comportamentos violentos levados a cabo por participantes" na mesma manifestação, "manifestando a sua solidariedade com todos os participantes na manifestação promovida no mesmo dia pela Associação Solidariedade Imigrante Defesa dos Direitos dos Imigrantes e outras".

Este ponto do documento foi aprovado por todas as forças políticas representadas na AML, à exceção do MPT, que se absteve. A mesma votação teve o terceiro ponto do voto, que repudiava "o cerco à sede do Livre", tendo os deputados municipais manifestado também "a sua solidariedade com este partido político".

No domingo, um dos militantes do PNR desrespeitou a barreira policial que separava a manifestação do partido da concentração de imigrantes por uma mudança na política de imigração, que também decorria no Martim Moniz, e à mesma hora.

Os imigrantes exigiam uma alteração da Lei de Imigração para resolver o problema de cerca de 30 mil estrangeiros que vivem em Portugal, mas sem autorização de residência, apesar de trabalharem no país, fazerem descontos para a Segurança Social e pagarem impostos.

Ao final da tarde, elementos do PNR concentraram-se junto à sede do Partido Livre, na Praça Olegário Mariano, em Lisboa, onde estava agendada uma sessão pública de debate sobre "Como combater o trumpismo - notas e lições sobre a campanha nos EUA".

Durante a apresentação do voto, a deputada bloquista Isabel Pires vincou que "não podem passar em claro as manifestações racistas e xenófobas que se passaram em Lisboa", no domingo. Quanto aos emigrantes, Isabel Pires frisou que a Assembleia Municipal "deve ajudar a apontar os caminhos da solução". Para o Bloco, "o município deve solidariza-se com aqueles grupos", dado que são pessoas que "pagam impostos, pagam Segurança Social, mas estão arredados dos seus direitos de cidadania, não têm acesso, por exemplo, aos mais básicos direitos como a saúde e a educação".

O PS, pela voz do deputado Manuel Lage, associou-se a este voto, sublinhando rever-se na posição de defesa, sempre, daqueles que estão na luta contra a xenofobia, contra todo e qualquer tipo de racismo, contra todo e qualquer tipo de intolerância". "Repudiamos naturalmente os atos que foram perpetrados pelo Partido Nacional Renovador, por alguns dos seus militantes, no dia 13 de novembro", afirmou o deputado socialista.